O Efeito do Impairment de Ativos Imobilizados sobre a Performance das Companhias Listadas na BM&FBovespa

NAIM KANSAON TARABAI, Wendel Alex Castro Silva

Resumo


A presente pesquisa possui abordagem quantitativa e teve por objetivo identificar todas as companhias listadas na BM&FBovespa que, no ano de 2015, reconheceram perdas por imparidade de ativos imobilizados. Identificou-se que, de um total de 562 companhias, apenas 32 reconheceram perdas, e para estas efetuou-se uma busca retroativa junto às Demonstrações Financeiras Padronizadas (DFP) consolidadas, para os quatro exercícios anteriores, perfazendo um período total examinado de cinco anos, ou seja, 2011 a 2015. Na sequência, no período mencionado, foram levantados os indicadores antes e após o impairment de 30 dessas 32 empresas – 2 foram excluídas por pertenceram ao setor financeiro –, a fim de verificar o efeito provocado pela imparidade. Esses indicadores foram categorizados em índices econômico-financeiros, índices dinâmicos e métricas de criação de valor. De um total de 3.600 indicadores, foi obtida a média geral para a aplicação do teste t: duas amostras em par para médias aritméticas cujos resultados foram consubstanciados pelo teste de Wilcoxon. Os achados deste estudo demonstraram que o reconhecimento do impairment não provocou alterações significativas do ponto de vista estatístico sobre a maioria dos indicadores estudados, e que o número de empresas que reconheceram perdas por imparidade em 2015 permanece baixo.

Palavras-chave: Imobilizado. Impairment. Indicadores.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexado por

 

A Revista de Auditoria Governança e Contabilidade - RAGC é B4 na Classificação de periódicos Qualis/CAPES 2013 - 2014 em Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo.

ISSN: 2317-0484