A IDENTIDADE CULTURAL EM ATALIBA, O VAQUEIRO

Katiane Régis Pereira Martins

Resumo


RESUMO: O universo literário nordestino, em particular o piauiense, é rico em traços culturais marcantes e singularmente bem peculiares, como a existência de uma diversidade significativa de obras literárias que esboçam a cultura da região, bem como também a influência da religiosidade no cotidiano dos nativos dessa terra. Mas, apesar da existência de tais traços, viu-se a necessidade de se estabelecer um estudo mais aprofundado sobre eles, bem como a influência que eles exercem na formação da identidade cultural piauiense. Com isso, buscaremos analisar os traços culturais que constituem a identidade cultural em Ataliba, o vaqueiro, obra piauiense de autoria de Francisco Gil Castelo Branco. Esse piauiense mostrou nessa breve narrativa a grande riqueza cultural existente no Piauí, como traços da religiosidade, mitos, lendas, vestimentas, dentre outras características que fazem a obra ser considerada uma grande obra literária piauiense. Tendo isso em vista, indaga-se de que modo esses elementos contribuem para a construção da identidade cultural na obra em análise. Partindo disso, o trabalho se pautará nas concepções dos autores: Laraia (1997), Castells (1999) e Hall (2006). Autores estes que expõem em suas obras a preocupação de se analisar os aspectos que influenciam no processo de formação identitária do sujeito. Além de nos pautar também nos autores: Nunes (2011), Magalhães e Rêgo (2011), os quais apontam críticas da obra em estudo, além de darem contribuição significativa aos estudos da literatura piauiense propriamente dita. Por fim, concluiremos que a obra está permeada de traços típicos da cultura piauiense que ajudam na formação da identidade cultura da obra analisada.

 

PALAVRA-CHAVE: Identidade cultural; Ataliba, o vaqueiro; Francisco Gil Castelo Branco.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexado por

ISSN: 2238-4405