AVALIAÇÃO DA GENOTOXICIDADE EM CÉLULAS DE PACIENTES FUMANTES E NÃO FUMANTES POR MEIO DO TESTE DO MICRONÚCLEO

CLAUDIO ROGER BATISTA, EDIMAR OLEGARIO CAMPOS

Resumo


Os tecidos epiteliais de revestimento são afetados diretamente por agentes químico-físicos, os quais podem expressar uma condição de genotoxicidade. Diversos testes citogenéticos são utilizados para avaliar os efeitos genotóxicos, dentre eles, o teste do micronúcleo, o qual constitui uma ferramenta eficiente para o biomonitoramento. Dentre os fatores de risco para o desenvolvimento de lesões pré-malignas e malignas na cavidade oral, o fumo apresenta uma grande relevância. A ingestão de bebidas alcoólicas quando associada ao hábito de fumar é citada como potencializadora do efeito carcinogênico do tabaco. O estudo foi realizado com 45 alunos de uma Faculdade da cidade de Monte Carmelo, com 30 indivíduos compondo o grupo exposto e 15, pertencentes ao grupo controle. Todos os

participantes da pesquisa responderam a um questionário e forneceram amostras celulares do epitélio bucal. As lâminas foram tratadas e coradas com o corante azul de metileno. Foi utilizado o teste de Kruscal Wallis para comparação das variáveis entre os grupos de fumantes e não fumantes. O número de micronúcleos encontrados foi significativamente mais frequente no grupo exposto (p<0,05) em relação ao grupo controle. Ficou evidenciado que o consumo de tabaco e álcool induz a efeitos genotóxicos, o que aponta para riscos à saúde dos indivíduos.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexado por

ISSN: 2238-4405