A EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA DO FUTURO EM EDGAR MORIN E O PROBLEMA DA FRAGMENTAÇÃO DO ENSINO

George Francisco CORONA, Daniel Louzada CASTELUBER

Resumo


Este texto faz uma reflexão acerca das concepções do antropólogo, sociólogo e filósofo francês Edgar Morin sobre a necessidade de se reformar a educação a fim de que a escola possa preparar o cidadão mundial, já que o fenômeno da globalização é irreversível e todos devem ser preparados para conviver com todos. Apesar de fenômenos nacionalistas despontarem pelo mundo, a necessidade de intercâmbio comercial entre as nações impulsiona o contato intercultural. Neste contexto, em que o choque cultural e seus respectivos problemas sociais, políticos e econômicos são inevitáveis, uma escola que ainda forma cidadãos especialistas nos moldes de uma educação positivista do século XIX não está respondendo a sua função social e não cumpre sua obrigação de fornecer à sociedade cidadãos preparados para resolver problemas de alta complexidade. Um caso específico sobre uma escola é citado, a fim de exemplificar como a fragmentação do ensino ainda é forte no Brasil e de que forma o mesmo impede a formação de uma inteligência geral que, de acordo com Morin, é aspecto essencial para a constituição de uma sociedade globalizada.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2236-9929 - Versão Online
ISSN 1678-1244 - Versão Impressa

Copyright © 2010 FUCAMP | Todos os Direitos Reservados Av. Brasil Oeste, s/n | Jardim Zenith | Monte Carmelo | MG | 38500-000 | (34)3842-5272