Letras Português/Espanhol

Letras Português/Espanhol

CURSO DE LETRAS –  PORTUGUÊS/ESPANHOL

Modalidade: Licenciatura
Formação: Licenciatura em Letras
Nº. de Vagas anuais: 100
Turno de funcionamento: Noturno
Tempo de duração: 3 anos (6 períodos)
Regime de matrícula: Semestral
Ato Regulatório: Portaria de Autorização nº 247, de 31 de maio de 2013
Carga horária total: 3600 horas
Limite mínimo de integralização: 8 semestres
Limite máximo de integralização: 12 semestres
Mensalidade: R$ 200,00
*Valor com desconto para pagamento até o dia 15 do mês seguinte.

 

COORDENADOR DO CURSO

Prof. Heber Junio Pereira Brasão

Formação: Graduação em Letras pela Fundação Carmelitana Mário Palmério – FUCAMP (2003). Graduação em Filosofia pela Faculdade Entre Rios do Piauí – FAERPI (2014). Graduação em Sociologia pela Universidade Paulista – UNIP (2015). Especialização em Inspeção e Supervisão Escolar pela Fundação Carmelitana Mário Palmério – FUCAMP (2006). Especialização em Linguística e Língua Portuguesa pela Fundação Carmelitana Mário Palmério – FUCAMP (2008). Mestrado em Educação pela Universidade de Uberaba – UNIUBE (2013).

Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4443133D3

 

GRADE CURRICULAR

 

DOCENTES DO CURSO

Docente Titulação Curriculum Lattes
Fernanda Fernandes dos Santos Rodrigues Mestre http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4710051A8
Gustavo Araújo Batista Doutor http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4776463Y3
Joice Silva Marques Mundim Mestre http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4315535P3
Kênia Mendonça Diniz Mestre http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4203008P6
Mayra Cabrera Costa Mestre http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4443954D1
Paulo Dante Fornazier Leles Filho Mestre http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K8265632U6
Roselaine das Chagas Doutora http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4717982A1
Sandra Diniz Costa Mestre http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4737910D9
Suze Martins Franco Monteiro Especialista http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K8616793P1


SOBRE O CURSO

Mercado de Trabalho

O licenciado em Letras está habilitado a atuar em um campo de trabalho que hoje se apresenta promissor, considerando que a linguagem, verbal e não-verbal, constitui e organiza todas as esferas das sociedades letradas. Dentre as possibilidades de atuação profissional, destacamos:

  • No ensino fundamental e médio, nas disciplinas Língua Portuguesa e Língua Espanhola, e suas respectivas literaturas;
  • Em curso instrumental de Língua Espanhola;
  • Em curso de Português como 2ª língua (para estrangeiros);
  • Em cursos à distância (pela Internet, por exemplo) como professor / tutor de Língua Portuguesa e Espanhola;
  • Revisão de textos, em Língua Espanhola e Portuguesa;
  • Tradução de textos de Língua Espanhola para Portuguesa e vice-versa;
  • Pesquisa e produção de material de referência, antologias, enciclopédias, coletâneas, dicionários, manuais didáticos, publicações temáticas, etc.;
  • Secretariado executivo monolíngue ou bilíngue;
  • Elaboração de videoconferências sobre linguagem, língua (Portuguesa e Espanhola) e literatura (de línguas Portuguesa e Espanhola);
  • Correção de Redações de vestibulares e concursos;
  • Consultoria e assessoria na área de linguagem (Língua Portuguesa e Espanhola) e literaturas (de Língua Espanhola e Portuguesa) para empresas públicas e privadas, embaixadas, agentes de mercados internacionais e outros;
  • Gerenciamento de livrarias especializadas na área;
  • Co-produção de programas de rádio e TV, de filmes, vídeos e cd-rom’s

 

Formas de acesso ao Curso:

  • Processo Seletivo de regime semestral;
  • Vestibular Agendado;
  • Transferência externa;
  • Portador de Diploma de Graduação;
  • Nota do ENEM para vagas remanescentes;
  • PROUNI / FIES.

 

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

As formas de avaliação são normatizadas pelo Regimento Interno da Instituição:

CAPÍTULO VI

DA AVALIAÇÃO E DO DESEMPENHO ESCOLAR

Art. 106. Para ser aprovado, o aluno, além de satisfazer às demais exigências legais e regimentais, deverá se submeter às avaliações nas épocas devidas.

Art. 107. O desempenho escolar é aferido, através de acompanhamento contínuo dos alunos e dos resultados por ele obtidos nas avaliações e trabalhos escolares.

  • 1º Compete ao professor da disciplina realizar as avaliações escolares sob a forma que estabelecer, respeitando os termos em estudo, bem como efetivar a avaliação nos termos da regulamentação interna.
  • 2º As avaliações escolares, no mínimo de duas (2) por semestre letivo, serão realizadas em datas fixadas em calendário escolar;

Art. 108. À verificação de aproveitamento será atribuída uma nota, expressa em grau numérico de 0 (zero) a 100 (cem) pontos, que deverá ser transcrita até a primeira decimal sem arredondamento.

Parágrafo único: Atribuir-se á nota 0 (zero) ao aluno que deixar de submeter-se às avaliações nas datas fixadas, bem como ao que nelas se utilizar de meios fraudulentos.

Art. 109. Ao aluno que deixar de comparecer à verificação de desempenho escolar, por motivo justo, na data fixada, pode ser concedida prova substitutiva, mediante requerimento, respeitando-se as datas previstas no Calendário Escolar.

  • 1º As avaliações substitutivas serão cobradas à parte conforme regulamento financeiro da Faculdade FACIHUS.
  • 2º Fica vedada a concessão de prova substitutiva para substituição de nota.
  • 3º A avaliação substitutiva aplica-se a provas realizadas na Faculdade FACIHUS, aos sábados, não se aplicando a trabalhos a serem efetuados.

Art. 110. Será aprovado o aluno que tiver média igual ou superior a 60 (sessenta) pontos e será reprovado o aluno que tiver média inferior.

Art. 111. O aluno que obtiver média inferior a 60 (sessenta) pontos e, igual ou superior a 40 (quarenta) pontos, nas provas e trabalhos do período letivo, poderá se submeter a uma prova final.

Parágrafo único: Nesta prova final o aluno para ser aprovado na disciplina deverá obter a quantidade de 60 (sessenta) pontos.  Não sendo aprovado na prova final, considerar-se-á a média maior.

Art. 112. O aluno tem o direito de solicitar a revisão de provas no prazo máximo de 48 horas da divulgação do resultado pelo professor.

Art. 113. Os alunos que tenham extraordinário aproveitamento nos estudos demonstrados por meio de provas e outros instrumentos de avaliação específicos, aplicados por banca examinadora especial, poderão ter abreviada a duração dos seus cursos, de acordo com as normas legais do sistema de ensino.

Art. 114. Caso o aluno venha a abandonar o curso, será permitida a sua reintegração, mediante a aprovação da Diretoria, seguida do pagamento das matrículas e mensalidades pendentes.

Art. 115. O percentual de frequência mínima às aulas e demais atividades escolares é de 75% (setenta e cinco) por cento, e se obtiver, em cada matéria, média igual ou superior a 60 (sessenta) pontos nos trabalhos e provas do período letivo, o aluno será aprovado. Diferente disso, será reprovado.

Art. 116. A frequência dos alunos às aulas e demais atividades é obrigatória, sendo vedado o abono de faltas, e esta será apurada através de Diário de Classe disponibilizado on-line pela Secretaria Geral, no início do período letivo.

  • 1º – Independentemente dos demais resultados obtidos, será considerado reprovado na disciplina, o aluno que não obtenha frequência de, no mínimo, 75% das aulas e demais atividades.

Art. 117. A verificação e registro de frequência é obrigação e responsabilidade do professor, e seu controle, da Secretaria Geral.

 

 

ESTÁGIO / TCC

Estágio Curricular Supervisionado

O presente projeto atende ao que determina a Resolução CNE/CP 2 (CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 2002), que aumenta para 400 horas a carga horária a ser dedicada ao estágio curricular supervisionado de ensino, que deve ter seu início na segunda metade do curso. Desse modo, o aluno da licenciatura deverá cursar disciplinas de estágio supervisionado distribuídas em três semestres, assim que cumprir a metade da carga horária total em disciplinas. Igualmente com base na referida resolução, prevê-se a redução da carga horária do estágio, até o máximo de 200 horas, para os alunos que exerçam atividade docente regular na educação básica. A redução da carga horária de estágio deverá ocorrer de acordo com a tabela a seguir e de acordo com a área de sua experiência.

 

TEMPO DE DOCÊNCIA REDUÇÃO DE CARGA HORÁRIA
3 meses a 1 ano incompleto 30 horas
1 ano a 3 anos incompletos 50 horas
3 anos a 5 anos incompletos 100 horas
5 anos a 10 anos incompletos 150 horas
10 anos ou mais 200 horas

 

Para os alunos que já tiverem uma licenciatura concluída, prevê-se também uma redução da carga horária do estágio em até o máximo de 200 horas (não cumulativa com a precedente).

O estágio supervisionado constitui uma das modalidades de prática a ser realizada diretamente em unidades escolares dos sistemas de ensino, “sob a forma de uma ação desenvolvida enquanto vivência profissional prolongada, sistemática, intencional [e] acompanhada” (Fórum de Pró-Reitores de Graduação das Universidades Brasileiras, 2002, p.23). Ele objetiva um conhecimento do real em situação de trabalho. Revela-se como espaço de construção do professor como sujeito que tem domínio de sua própria prática e de seu papel social.

Concebe-se o estágio, entretanto, não somente como observação e regência. São contempladas as várias facetas da formação profissional, conforme propõe Paiva (2003):

  1. observação de reuniões de pais e professores, Conselho de Classe, exame de regulamentos e estatutos da escola escolhida, entrevistas com coordenadores, diretores, orientadores, supervisores e professores, análise dos projetos pedagógicos e demais atividades […];
  2. […] preparação e pilotagem de material didático;
  3. observação das aulas e engajamento em atividades extracurriculares […] classes de aceleração, oficina de redação, clubes de conversação para línguas estrangeiras, auxílio na avaliação de alunos […];
  4. regência de algumas aulas;
  5. engajamento em projetos de pesquisas no contexto de estágio […].

Conforme a legislação vigente podem complementar a formação docente “as tecnologias da informação, incluídos o computador e o vídeo, narrativas orais e escritas de professores, produções de alunos, situações simuladoras e estudos de caso”, que se encontram em consonância com um dos princípios norteadores para a formação do professor: “a aprendizagem deverá ser orientada pelo princípio metodológico geral, que pode ser traduzido pela ação-reflexão-ação e que aponta a resolução de situações-problema como uma das estratégias didáticas privilegiadas” (apud PAIVA, s/d).

O estágio supervisionado consiste em ação desenvolvida na interface do projeto político-pedagógico da unidade acadêmica e da escola em que é realizado.

 

Trabalho de Conclusão de Curso

O trabalho de conclusão de curso é um dos requisitos básicos e obrigatórios para obtenção do grau de licenciado.

O trabalho consiste numa atividade acadêmica de pesquisa e sistematização do conhecimento sobre um objeto de estudo pertinente à profissão do licenciado, e à realidade social em suas diferentes expressões, desenvolvida mediante controle, orientação e a avaliação docente cuja exigência é um requisito essencial e obrigatório para a obtenção do diploma de licenciado em Letras.

As áreas de conhecimento para elaboração do TCC, no curso de Licenciatura em Letras definidas pelo colegiado de curso são:

  • Estudos literários.
  • Estudos linguísticos.
  • Metodologias da Língua Portuguesa e Língua Inglesa.

O TCC no curso de Letras / Inglês – Português e respectivas literaturas, consiste num “Projeto de Pesquisa”, a ser elaborado individualmente.

São objetivos gerais do trabalho de conclusão de curso:

  • Sistematizar o conhecimento adquirido no decorrer do curso.
  • Contribuir para o aprofundamento de conhecimentos referentes a aspectos da realidade social e/ou âmbito da ação profissional.
  • Favorecer a síntese dos conteúdos estudados, que propicie o entendimento da profissão inserida na dinâmica da sociedade.
  • Os professores orientadores deverão ser constituídos por docentes efetivos da faculdade e, preferencialmente, do curso de Letras.

 

 

ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Estão presentes no curso e são aquelas que contribuem para a formação complementar profissional e cidadã do aluno, dada a sua flexibilidade e variedade de formas de oferta. São consideradas atividades complementares:

  • Participação nos projetos de Iniciação Científica;
  • Projetos de Extensão;
  • Monitorias;
  • Participação em eventos de caráter científico, cultural/profissional, desportivo;
  • Congressos, Seminários, Workshops, oficinas, palestras, feiras, visitas/viagens técnicas e orientadas;
  • Cursos de língua estrangeira;
  • Trabalhos voluntários etc., e outros de acordo com o Regulamento de Atividades Complementares.

 

Informações atualizadas em 07/03/2018