Engenharia Ambiental

Engenharia Ambiental

Bacharelado em Engenharia Ambiental

Autorizado pela Portaria Ministerial nº. 133 de 06 de maio de 2016

Regime: Semestral
Modalidade: Bacharelado
Turno: Noturno
N.º de vagas: 100 vagas anuais
Duração: 5 anos (10 períodos)
Critérios de avaliação: 100 pontos distribuídos por semestre, sendo necessário a obtenção de, no mínimo, 60 pontos para aprovação.
Coordenador: Prof. Mestre Emiliano Silva Costa
E-mail: eng.civil@fucamp.edu.br 

Apresentação

A organização curricular do curso de Engenharia Ambiental da FACIHUS faz parte do pressuposto de que o engenheiro ambiental e sanitarista deve constituir-se em um profissional com sólida formação científica, técnica e política, de modo a permitir uma prática crítica e consciente da necessidade de transformação social. Além de engenheiro ambiental e sanitarista, que é aqui concebido como base de sua identidade profissional, ele deve estar qualificado para atuar também no ensino da Engenharia Ambiental e Sanitária, dentre outras áreas pertinentes.

Com base nas diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em ENGENHARIA AMBIENTAL, a FACIHUS elaborou sua proposta curricular com base nestas diretrizes, norteando-se ainda pelos referenciais nacionais e internacionais de qualidade e pelo perfil da região, assim como pelos avanços científicos e tecnológicos atuais.

Sendo assim, a presente grade curricular representa a seleção de conhecimentos que, no atual contexto, são considerados como os mais relevantes para a construção da identidade do engenheiro ambiental e sanitarista com o perfil do egresso anteriormente definido.

O Currículo para a formação do engenheiro ambiental e sanitarista é organizado tendo em vista os princípios e diretrizes a seguir: 

Sólida formação teórica

Significa que o currículo deve possibilitar o acesso a referenciais teóricos para alcançar a compreensão da ENGENHARIA AMBIENTAL em todas as suas dimensões, permitindo o entendimento das relações recíprocas entre os elementos que compreendem a prática da ENGENHARIA AMBIENTAL e as condições sociais mais amplas que a definem e condicionam. Nesta proposta a teoria se constitui, pois, em ferramenta para a compreensão, análise e crítica da prática profissional.

Com o objetivo de alcançar um ensino de qualidade, prioriza-se a constante atualização do projeto pedagógico do curso, por meio da atualização curricular e também reformulação dos conteúdos programáticos. As atualizações são realizadas tendo como parâmetros os processos de avaliação das disciplinas e/ou pela Avaliação Interna e Externa e Diretrizes Curriculares dos Cursos. 

Objetivos

Proporcionar aos alunos conhecimentos teóricos-práticos que os permitam atuar de forma crítica e criativa no setor de meio ambiente, permitindo a compreensão dos processos de elaboração, desenvolvimento e acompanhamento de projetos ambientais, direcionadas por valores éticos, pessoais, sociais e culturais. Consiste ainda em proporcionar aos alunos conceitos técnico-cientificos na área de meio ambiente, abrangendo os sistemas industriais, rurais e naturais, e seus problemas relacionados à ausência de um planejamento urbano-tecnológico-ambiental, referente ao saneamento básico, à exploração de recursos naturais, à gestão de resíduos, às emissões atmosféricas, entre outros. 

Mercado de trabalho

A necessidade de profissionais nessa área é sempre grande no Brasil, devido à precariedade dos sistemas de saneamento básico e de abastecimento de água potável observados em grande parte do país. O mercado de trabalho é bastante promissor, principalmente no setor público, pois a maioria desses serviços é de responsabilidade das prefeituras, secretarias estaduais e federais, além de órgãos de planejamento e controle ambiental.

Atualmente, observa-se de forma significativa, o crescimento do número de empresas privadas preocupadas com a situação do meio ambiente e suas consequências a médio e longo prazo e com as pressões legais acerca da questão da poluição ambiental. Essas empresas caracterizam um novo mercado para o engenheiro ambiental e sanitarista, que baseado em seus conhecimentos pode propor soluções para esses inúmeros problemas acerca das questões ambientais. Outro setor de atuação são as ONGs ligadas ao meio ambiente, que também empregam bastante na área ambiental e sanitária. 

Matriz Curricular

Avaliação

Os procedimentos formais que efetivam a necessidade de avaliação com relação ao desempenho dos discentes do Curso de Engenharia Ambiental da FACIHUS estão baseados no critério de qualidade de excelência para a formação dos mesmos. Considerando tal critério, optou-se por um processo contínuo de avaliação, composto por dimensões quantitativa e qualitativa, tais como a assiduidade, participação nas aulas e demais atividades pedagógicas e rendimento no curso. A verificação do aproveitamento no curso é, também, efetivada contemplando-se o desempenho dos alunos em provas escritas com fins de verificação do aprendizado dos conteúdos programáticos estudados em sala de aula. Esse processo avaliativo cabe ressaltar, respeita o disposto no Regimento Interno da Instituição. Para esclarecimento, vale destacar que a avaliação do aproveitamento do aluno no curso é expressa numericamente numa escala de 0 (zero) a 100 (cem) pontos, permitindo-se o fracionamento em décimos. Quanto à assiduidade, exige-se a frequência mínima estabelecida no regimento interno da IES de 75% de frequência. 

Periódicos On-line